Grupo NPO

Grupo NPO

Notícias » Mercado agora valoriza a experiência

Inserida em: 20/06/2010

Mercado agora valoriza a experiência

Albert Einstein disse: "É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito". A ciência tem cuidado da primeira afirmação desde meados do século 20. A sociedade dá mostras de que pode mudar a segunda. Exemplo disso é o aumento constatado na contratação de profissionais com mais de 40 anos. Maturidade, experiência profissional e equilíbrio emocional são os principais motores desse movimento.

Fenômeno que aparece em diversos locais do País, refletese na região, onde o aumento das contratações de pessoas com esse perfil acompanha o aquecimento do mercado. O fato é registrado nos índices do Ministério do Trabalho, em comparação do primeiro trimestre desse ano com o mesmo período do ano passado.

Cubatão é a campeã da região no quesito, registrando aumento de 102,8% de reemprego acima de 40 anos. Reemprego é a denominação das contratações que acontecem após o primeiro emprego. Bertioga fica em segundo lugar, com 34,6%; Praia Grande teve 34,7%; Peruíbe 31,8% e Santos, 22,6% de aumento.

Os números comprovam fato que tem ficado evidente, desde meados do ano passado, para quem atua na área. "Às vezes a empresa quer um profissional qualificado, com bastante experiência e por isso os mais velhos são valorizados", comenta Ana Maria da Silva Pereira, encarregada de Recursos Humanos da Libra RH, empresa de recursos humanos de Santos.

Atuando há seis anos na companhia, Ana Maria afirma que verifica essa mudança especialmente desde setembro do ano passado. Ela cita o exemplo de um pedido, recebido há um mês, solicitando especificamente um aposentado para a vaga.

Além da qualificação profissional, a encarregada aponta outro aspecto que transforma o cenário: as restrições impostas por muitos jovens para trabalhar.

"Algumas vezes, em vez da gente fazer a entrevista, eles que fazem, perguntando de tudo, de salário a horário de trabalho. Muitos jovens não aceitam trabalhar por um salário menor", opina. "Dizem que não há empregos, mas não é verdade. Faltam profissionais que queiram atuar".

Segundo Ana Maria, as empresas buscam pessoas que têm vontade de trabalhar, independente da idade ­ e as mais velhas estão levando vantagem. "Quando aparece uma oportunidade, elas abraçam. O jovem prefere deixar para encontrar algo melhor mais para frente. Os mais velhos sabem que podem provar seu valor e melhorar o salário".
 

O TEMPO É AGORA
A supervisora de recrutamento e seleção do Grupo NPO de Santos, Roberta Capurso, descreve cenário semelhante quando fala do seu cotidiano na contratação de profissionais para as mais diversas áreas. "Muitas empresas estão apostando na maturidade profissional e pessoal. Elas consideram também o equilíbrio emocional para lidar com pressões no ambiente de trabalho".

Roberta explica que, dependendo da situação, o profissional mais maduro tem resposta mais rápida, pelo conhecimento e experiência de vida. Ela inclui nesse perfil áreas com atividades voltadas para o setor contábil, financeiro, de vendas e de serviços. "As empresas estão começando a perceber isso. Na indústria, esse profissional entra como consultor externo, para desenvolver projetos por determinado período e preparar a equipe para dar continuidade ao trabalho".

Quando a vaga exige esse perfil, além de determinar na solicitação, há maior exigência na entrevista, para testar a maturidade e o equilíbrio emocional do candidato.

Fundamental para o profissional entrar no mercado de trabalho ­ independente da idade ­ é estar atualizado. "Não adianta ficar falando como eram as coisas antigamente. O tempo é agora. Apesar de madura, a pessoa deve manter a jovialidade e mostrar que a experiência adquirida foi amadurecida", complementa Roberta.

Fonte: A Tribuna - Caderno: Baixada Santista - pág A-6

 

Lista completa de Notícias do Grupo NPO: